A equipa da ADDHU voltou a deslocar-se ao Quénia entre os dias 22 de Março e 28 de Abril de 2011. A equipa da ADDHU contou com a presença e com a ajuda dos voluntários e padrinhos Patrícia Soares, Carlos Dias e Cecília, que nos acompanharam durante as duas primeiras semanas de missão, bem como os voluntários “repetentes” Susana e Gonçalo.

Para além do teu esperado reencontro com as crianças do Centro Wanalea, foram também desenvolvidas outras iniciativas, entre as quais distribuições de bens alimentares nos bairros de lata de Nairobi e entrega de Dádivas de Esperança aos seus beneficiários.

 

Wanalea Children’s Home - Centro de Acolhimento para crianças órfãs e abandonadas

Mais uma vez, tivemos a oportunidade de passar algum tempo com as crianças do Centro Wanalea, e foi com muita alegria que verificámos que todas se encontram bem e saudáveis, tiveram boas notas nos exames escolares, e estão muito felizes com a sua vida no Centro.

A menina que acolhemos no final de Outubro de 2010, a Gakii, encontra-se já perfeitamente integrada: já fala bastante inglês, já sabe ler e escrever e conseguiu passar para o primeiro ano do ensino primário.

A ida para uma escola fora do Centro teve um impacto muito positivo na vida das crianças: estão mais soltas e comunicativas, confiantes e extrovertidas. E todas melhoraram os seus resultados desde os últimos exames nos finais de Novembro de 2010. As apreciações e o feedback dado pelos professores com quem estivemos reunidos é de foi para nós motivo de grande orgulho. Todos sem excepção sublinharam o comportamento exemplar das crianças, e os seus valores de solidariedade, de entreajuda e de família.

As crianças entraram de férias no dia 31 de Março. No último dia de aulas, fomos à escola assistir aos eventos de encerramento da escola para o período de férias escolares, que incluíram danças tradicionais africanas e eventos desportivos como torneios de futebol e atletismo. Descobrimos que as crianças do Centro Wanalea adorou jogar o futebol, e que o Edwin e a Dorcas até ganharam o prémio de melhores futebolistas num torneio inter-escolas! Foi extremamente gratificante ver as crianças tão felizes, em brincadeiras com os amigos. Entre trabalhos manuais e actividades artísticas, jogos no jardim e desporto, sessões de dança e actividades de dramatização, as férias foram passadas com muita alegria e divertimento.

Uma vez que as crianças estiveram de férias durante todo o mês de Abril, os voluntários e a equipa da ADDHU organizaram várias actividades para manter as crianças animadas e ocupadas: Entre trabalhos manuais e actividades artísticas, aulas de português, jogos no jardim e desportivos, sessões de dança e actividades de dramatização, as férias foram passadas com muita alegria e divertimento.

No dia 24 de Abril, Domingo de Páscoa, fomos almoçar com as crianças ao restaurante graças à generosidade dos voluntários Susana e Gonçalo, que ofereceram este almoço ao Centro Wanalea. Durante a tarde, já no Centro, foi no meio de uma grande euforia e excitação que as crianças procuram os ovos de chocolate e outras guloseimas que o Coelhinho da Páscoa tinha escondido no jardim, uma tradição desconhecida no Quénia mas que as crianças adoram e adoptaram rapidamente. Passámos o resto da tarde a cantar e a dançar, e a comer doces e chocolates!

Temos agora 7 coelhos no Centro, 2 adultos e os seus 5 filhotes. O nascimento dos coelhinhos foi motivo de grande alegria no Centro Wanalea, e as crianças adoram cuidar deles. Tratam-nos com muito carinho, e têm imenso cuidado com a sua alimentação e a limpeza do local onde dormem. Para além dos coelhos, existem também no Centro algumas galinhas e um galo, tendo sido construído um pequeno galinheiro de modo a podermos ter mais galinhas e produzir ovos para consumo e no futuro, para venda também.

A construção do galinheiro faz parte do nosso projecto de sustentabilidade do Centro, algo que consideramos prioritário para o Centro Wanalea. O objectivo geral deste projecto é assegurar, em parte, a sustentabilidade do Centro através da implementação de actividades geradoras de rendimento cujos lucros se destinem a financiar o funcionamento diário do Centro Wanalea.

Para além dos ovos e das galinheiros, contamos iniciar brevemente a venda de doce de abóbora caseiro e de crepes com chocolate.

Com a ajuda e o apoio dos voluntários e dos padrinhos, foram feitas importantes obras de renovação e de melhoramento do Centro, nomeadamente a remodelação completa da cozinha e das casas de banho, onde foram colocados azulejos, a reconstrução das latrinas exteriores e a instalação de uma caldeira de água quente. Foram também levadas a cabo algumas pinturas, realizadas pelos voluntários.

 

Bairro de lata de Kitui Ndogo

No dia 6 de Abril de 2011, a equipa da ADDHU deslocou-se ao bairro de lata Kitui Ndogo, onde se encontra a trabalhar a organização queniana FOC - Foundation for Orphaned Children - que dá apoio a cerca de 70 crianças deste bairro de lata, entre as quais 7 são apoiadas pela ADDHU através do programa de apadrinhamento Wanalea.

Foram distribuídos mais de 50 litros de leite às crianças da Kitui Village Nursery School. Foram também distribuídas roupas doadas à ADDHU. O Samuel Muuo Mutinda, aluno da Kitui Village Nursery School, recebeu um Kit Escola através do programa Dádivas de Esperança.

Durante esta visita, a equipa de ADDHU verificou que as crianças apadrinhadas estão felizes, bem alimentadas e bem de saúde. A Francisca, o Adam e a Victorine, as crianças com mais problemas de saúde, cresceram imenso e têm as suas doenças controladas. O Adam e a Victorine podem agora todos tratamentos necessários para controlar e gerir o HIV. Também têm feito exames regularmente de forma a monitorizar o progresso da doença. O acesso a cuidados de saúde adequados e a melhoria na alimentação têm sido cruciais para o desenvolvimento saudável do Adam e da Victorine.

Para estas crianças de saúde frágil, o apadrinhamento não só contribuiu para melhorar significativamente a sua qualidade de vida, como lhes salvou, literalmente, a vida.

 

Bairro de lata do Soweto em Nairobi

No dia 28 de Março de 2011, a equipa da ADDHU realizou a sua primeira visita ao bairro de lata do Soweto, onde esteve reunida com Calvin Matsita, fundador e director da God’s Vision for Africa, ONG queniana parceira da ADDHU. Foram em seguida distribuídos mais de 200 litros de leite e cerca de 300 pacotes de pacotes de bolachas a cerca de 200 crianças da Escola Primária Cityshine.

No dia 19 de Abril de 2011, a equipa da ADDHU, voltou a deslocar-se ao bairro de lata do Soweto para proceder à entrega das seguintes Dádivas de Esperança. Foram entregues 3 Kits Escola, ou seja uma mochila com cadernos, estojo e livros escolares, 3 Kits Higiene Oral que incluem 2 escovas de dentes e pasta de dentes, 4 Kits Dignidade da Mulher, com 12 pacotes de pensos higiénicos cada.

Durante as nossas visitas ao bairro de lata do Soweto, tivemos a oportunidade de conhecer e de conviver com as duas crianças apoiadas através do programa Wanalea: o Abedneco Wanza e a Sylvia Meli. Foi com muita alegria que verificámos que ambas se encontram bem e saudáveis, e que têm tido uma excelente performance escolar. É visível a melhoria das condições de vida que o apadrinhamento proporcionou a estas duas crianças. Têm uniformes escolares novos, os livros e cadernos que necessitam para estudar, alimentam-se melhor (em vez de uma refeição por dia, já conseguem fazer 3 refeições: pequeno almoço, almoço e jantar) e podem ir à escola sem medo de serem reenviadas para casa por falta de pagamento das propinas escolares.

Foram também entregues a uma criança da Escola Primária Cityshine um uniforme escolar completo com sapatos, mochila, cadernos e livros escolares, doados pelos voluntários e padrinhos Patrícia e Carlos.

Um dos maiores desafios e problemas que enfrentam estas crianças é a insegurança alimentar e a fome. É urgente que seja implementado um programa alimentar escolar, que forneça a estas crianças pelo menos uma refeição diária.

Graças a um generoso doador, a quem agradecemos, o programa alimentar escolar vai arrancar em Maio de 2011. Cerca de 700 crianças vão assim passar a receber uma refeição na escola (almoço), o que vai contribuir consideravelmente para uma redução da insegurança alimentar e da má nutrição e subnutrição que afectam gravemente estas crianças. O programa alimentar escolar vai também contribuir para que mais passem a ir regularmente à escola, e vai permitir uma significativa melhoria da performance e dos resultados escolares das crianças.

As Dádivas de Esperança recebidas entre Dezembro de 2010 e Abril de 2011 foram devidamente entregues aos seus beneficiários, e foram recebidas com muita alegria. Mais uma vez, verificamos que, de facto, são pequenos gestos que fazem toda a diferença e que realmente trazem esperança a quem os recebe. O programa tem estado a correr com muito sucesso e as doações tem sido regulares, sobretudo graças à campanha da Dádiva do Mês, à qual as pessoas têm aderido.

 

Ida a Kisii

Entre os dias 1 e 3 de Abril 2011, a equipa da ADDHU deslocou-se à região de Kisii para proceder à entrega das Dádivas de Esperança às famílias beneficiárias. Foram assim entregues 2 vacas, 2 cabras, 3 galos e 9 galinhas, 20 redes mosquiteiras, 10 Kits Dignidade da Mulher, ou seja 120 pacotes de pensos higiénicos e 20 cobertores. As Dádivas foram mais uma vez recebidas com muita festa e alegria, bem como a equipa da ADDHU que parece ter realmente ganho o respeito e o afecto desta comunidade que se mostrou, uma vez mais, empenhada e motivada em gerir as dádivas da melhor forma, de modo a que todos possam beneficiar delas. Existe, de facto, um espírito de entreajuda e de solidariedade nesta comunidade.

No âmbito do programa Dádivas de Esperança, foi também dado início à construção da casa de Linet Moraa, mais conhecida como Mama Sagini, uma viúva que tem 5 filhos, um dos quais recém-nascido. Esta senhora, que tem cerca de 30 anos, vive em situação de extrema pobreza e de insegurança alimentar, e é sem-abrigo. A sua casa foi destruída num incêndio e a senhora vive na rua com os filhos há mais de 6 meses. Está desempregada, e os seus filhos, nomeadamente o Edwin, que tem 3 anos, encontram-se gravemente subnutridos. Não têm ido à escola e por vezes vêem-se obrigados a roubar comida da horta dos vizinhos para matar a fome... Felizmente, em breve, já terão um lar seguro onde viver e recomeçar as suas vidas!

 

Mensagem de Laura Vasconcellos, presidente e fundadora da ADDHU e do Wanalea Children’s Home:

“Como medir a pobreza? A fome? O nada ter? Afinal o que é isso de “nada ter”? Para nós, muitas vezes, põe-se o problema entre o Ser e o Ter em que ganha, quase sempre, neste mundo em que vivemos, o Ter porque este se confunde profundamente com o Ser. Eu sou aquilo que tenho! E em que termos medimos o que temos e assim o que somos? Vamos comparar com o quê? Com o que sentimos que queremos ou devemos Ter? Quem poderá medir tal coisa?

Mas para muitos, diria mesmo grande parte da população mundial, estas questões nem se põem pois trata-se de uma outra questão mais básica, mais premente, mais urgente: a sobrevivência. Onde me posso abrigar? Terei algo para comer, limitar-me-ei a chupar pedrinhas para salivar e assim enganar a fome? Estarei segura? O triste é que isto acontece na maioria das vezes com crianças as quais, a braços com esta questão básica e instintiva da sobrevivência, nem sabem que podem sonhar, que existe algo que se chama futuro e que se, ah, se as coisas fossem um pouquinho diferentes, até podiam… até podiam Ser, pois para elas não existiria o Ter acima de tudo, mas sim o Ser! Digo-o e afirmo-o com conhecimento de causa. Sei do que falo. A minha experiência com as crianças do Centro Wanalea no Quénia revelou-me algo que, afinal, devia servir de exemplo a muitos de nós, inclusive eu, isto é, o que poderei Ser e não o que poderei Ter.

Aqui voltamos ao início da questão: para que estas crianças possam Ser, alguém deve Ter para que elas construam o seu sonho, realizem o seu futuro. Deste modo, ponhamos a solidariedade em destaque e abandonemos um pouco o nosso Ter para que estas crianças e outras como elas possam Ser.

É em momentos difíceis, como o que sem dúvida passamos, em que vemos o nosso Ter tão ameaçado quase que confundido com sobrevivência, com o essencial, que devemos Solidariedade àqueles que, esses sim, nada têm, nem mesmo o sonho de Ser.

E, acima de tudo sejamos altruístas e não abandonemos aqueles que não podem ser abandonados, e contrariemos assim esta tendência do individualismo puro e egoísta que nos colocou nesta alhada de mundo em que vivemos.

Agradeço profundamente a todos os padrinhos e madrinhas das crianças do Centro Wanalea e dos bairros de lata do Quénia, aos voluntários e voluntárias, a todos aqueles que nos apoiam com as suas Dádivas de Esperança, sejam elas em que forma forem, tantas vezes uma palavra de apreço e incentivo, pois colocam o Ser destas crianças acima do vosso Ter.

Bem hajam!”

A equipa da ADDHU agradece a todos os que apoiam as crianças do Centro Wanalea e dos bairros de lata de Nairobi, e que contribuem para os nossos projectos no Quénia, em especial aos voluntários e aos padrinhos, sem os quais nada disto seria possível...

Obrigada pelo vosso apoio!
Asante sana!