Mensagem da Presidente e Fundadora da ADDHU,
Laura Vasconcellos: 

 

Em 2014, a ADDHU completou 8 anos de existência.

Já como o havia sido em 2013, o ano de 2014 não foi fácil: embora tenham surgido alguns indícios de recuperação económica em Portugal, permanece o clima de incerteza que obrigou a ADDHU a manter uma estrutura muito reduzida com custos administrativos baixos. Uma vez mais, tivemos de recorrer à ajuda de voluntários e estagiários curriculares, acumulando os já parcos funcionários várias funções.

O espírito de missão e de sacrifício, que sempre foi característico da ADDHU e de Organizações como a nossa, prevaleceu e conseguimos manter os nossos projetos no Quénia e em Portugal. Com muita pena ainda não nos foi possível retomar o nosso projeto do Nepal, que continua suspenso pois não obtivemos os financiamentos necessários, nem iniciar o nosso projecto de ajuda aos idosos, por falta de recursos financeiros. 

Em Portugal, demos seguimento ao nosso projeto Cidadãos do Mundo: alargámos as parcerias com as Universidades e escolas, e iniciámos uma nova parceria com Institutos de Formação Profissional; continuámos a monitorizar o trabalho do Observatório de Direitos Humanos da Escola Reynaldo dos Santos em Vila Franca de Xira. Embora tenhamos sido obrigados a reduzir o número de palestras e sessões de sensibilização para os direitos humanos por falta de recursos financeiros, concentrando-nos na área da Grande Lisboa, o nosso programa de intercâmbio entre os alunos das escolas secundárias portuguesas e as nossas crianças no Quénia, foi seguido com êxito e entusiasmo por parte dos jovens de ambos os lados e nas redes sociais onde vimos crescer o número de apoiantes, informando sobre situações de graves violações de direitos humanos no Mundo e dando conhecimento do nosso trabalho. Iniciámos também uma parceria com uma agência alemã que começou a enviar-nos grupos de jovens advogados alemães em viagem de fim de curso para apresentarmos a ADDHU e aumentar assim o alcance do nosso trabalho em Europa.

No Quénia, 2014 foi um ano de grandes mudanças para o nosso Centro de Acolhimento Wanalea: mudança de casa com melhores condições pra as nossas crianças; construção de uma biblioteca, aquisição de equipamentos, tudo graças à ajuda de apoiantes da ADDHU. A família Wanalea também cresceu este ano: Acolhemos dois novos meninos, Ivan e Scott, ambos oriundos do bairro de lata de Kitui Ndogo e que se encontravam em situações de risco. Continuámos a consolidar o nosso objectivo de construir uma família para todos os meninos e as meninas do Centro Wanalea, tendo também continuado as nossas investigações para obter mais informações sobre as famílias das nossas crianças, na esperança de poder reunir, como já o fizemos no passado, irmãos e irmãs debaixo do mesmo tecto. Assistimos com alegria à evolução positiva destas crianças rumo a um futuro cada vez mais promissor. Nos bairros de lata, com muito esforço e trabalho, conseguimos manter o nosso programa de ajuda alimentar escolar embora tivéssemos que reduzir as ações de distribuição de alimentos que vínhamos realizando em vista das dificuldades financeiras com as quais nos debatemos.

Consolidámos a sustentabilidade da nossa ação com o programa de apadrinhamento, com um aumento de cerca de 35% no número de padrinhos, e do nosso programa “Alimente uma Criança” iniciado no ano passado em Kitui Ndogo. Para além do Programa Alimentar Escolar, a ADDHU também deu apoio médico e educativo a crianças do bairro de lata, e continuou com o ensino da língua portuguesa no Centro Wanalea.

O programa Dádivas de Esperança continuou em queda e não nos foi possível, por falta de recursos humanos, apostar neste programa como o tínhamos feito nos anos anteriores. Quanto ao Programa de Voluntariado Internacional, foi suspendido temporariamente mas esperamos retomá-lo em 2015 pois tem sido muito importante para o desenvolvimento dos projectos da ADDHU.

Não tem sido fácil. A crise financeira continua a assombrar o nosso trabalho, mas queremos e vamos continuar, porque esta é a nossa missão, porque temos seres humanos que dependem de nós para evoluir, para crescer, para viver e ter acesso a um futuro digno.

Queremos manter o que temos e construir mais, e sabemos que apesar das dificuldades sempre encontraremos soluções para seguir em frente e ajudar cada vez mais pessoas, aqui e lá fora. A nossa determinação e o amor ao próximo é a nossa força e nunca baixar os braços o nosso lema!

Este nosso trabalho só é e continuará a ser possível graças à generosidade de todos os que nos apoiaram e apoiam e em nós confiam.

“Vale a pena”, assim dizem os resultados. A todos muito obrigada e Bem hajam!

Laura Vasconcellos - Presidente e Fundadora da ADDHU